Acessibilidade logo

Acessibilidade

bat-papo

Fale com a Prefeitura

  • *Campos obrigatórios
  • Ao iniciar um contato, você concorda com a Política de privacidade

  • ...Ou se preferir

  • Ligue para nós

    (77) 3460-1021 / 3460-1141

  • Ou seja atendido presencialmente

    Segunda à sexta-feira, das 08:00 às 12:00 e das 14:00 às 17:00 hs

    Pç Bernardo de Brito, 430, Centro

  • Outros meios de contato

Em conformidade com:

O SAAE de Igaporã abriu novos poços e aperfeiçoou o sistema para o enfrentamento da seca
22/09/2021

O SAAE (Serviço Autônomo de Água e Esgoto) de Igaporã desenvolveu esforços, em parceria com a Prefeitura Municipal, para minimizar ou resolver os problemas causados pela estiagem prolongada.

 

O município capta água de poços artesianos, da barragem do Salgado e iniciará a captação na lagoa da Torta. No entanto, a vazão disponível reduziu no período de estiagem enquanto o consumo aumentou na cidade e zona rural.

 

Como forma de manter um abastecimento regular o SAAE adotou a estratégia de rodizio, destinando água para cada setor separadamente, em determinados dias da semana. No entanto, o esquema só surte o efeito desejado se a população colaborar economizando água e adquirindo os reservatórios domésticos, para os dias sem água na rede, segundo explicou Mônica Rocha, diretora do SAAE.

 

“Conversamos com o Executivo para organização do rodízio. Vamos manter enquanto houver pouca captação de água. Não podemos fazer um cronograma fixo de distribuição, porque dependemos da vazão dos poços que não é estável”, explicou a diretora.

 

Mônica descreveu as ações realizadas em sua gestão, desde o início do ano, para enfrentar o período de estiagem. Um dos temas mais presentes nas cobranças populares, a captação na lagoa da Torta, está prestes a ser iniciada. O SAAE reformou todo o sistema e adquiriu novos motores e bombas, pois a estrutura encontrada estava inutilizada.

 

A principal dificuldade, de acordo com Mônica, foi encontrar peças de reposição disponíveis no mercado. Outro fator gerador do atraso foi o envio de máquinas erradas, que foram devolvidas aos revendedores, retornaram e já estão em processo de instalação.

 

Além da aquisição de equipamentos, várias intervenções foram realizadas no sistema de distribuição de água já existente na zona urbana. O bairro Alto da Varginha recebeu mais três pontos de entrada, a partir da rede principal. A medida vai reduzir o tempo de chegada da água nas residências.

 

O SAAE instalou uma bomba de recalque no bairro Irmã Dulce, para solucionar a falta de pressão na tubulação, que impedia o abastecimento dos imóveis situados em um nível mais alto que a estação de tratamento. Segundo o SAAE, a bomba está instalada, aguardando a Coelba liberar a energia elétrica.

 

Em algumas partes das zonas urbana e rural, novas redes de distribuição já estão instaladas, enquanto outras foram estendidas para beneficiar mais residências com a água encanada.

 

O SAAE identificou alguns problemas no consumo e iniciou uma campanha de esclarecimento, para que a água potável não seja utilizada na irrigação de lavouras ou criação de animais, como foi constatado em algumas propriedades rurais.

 

“O SAAE enfrenta o aumento de ligações da zona rural. É uma situação que precisamos atender, porque as pessoas precisam de água, tanto na cidade quanto no campo. Mas, temos o problema do uso da água para irrigação e criação de animais. Nesse ponto, precisamos da colaboração dos usuários para enfrentarmos esse período difícil. Contamos com o bom senso das pessoas”, comentou Mônica.

 

As ações de enfrentamento da seca atingiram o nível das obras estruturantes, com a abertura de novos poços artesianos, juntamente com a limpeza e recuperação daqueles que não possuíam condições de uso.

 

Poços perfurados desde o início de setembro:

 

  • Poço na localidade de Pitombeira: vazão em torno de 8 a 10 mil l/h, calculada no final da perfuração.
  • Poço na localidade do Sapé: vazão em torno de 10.800 mil l/h, calculada no final da perfuração.
  • Poço na localidade de Santana: vazão em torno de 5.400 mil l/h, calculada no final da perfuração.


Autor: ASCOM/PMI